Aveleda lança vinho de homenagem ao seu fundador

Em 1870, Manoel Pedro Guedes fundou a Aveleda e acreditou no sucesso que os seus vinhos iriam ter. 150 anos depois, a Aveleda confirma esse facto e apresenta um vinho de homenagem ao seu fundador – Manoel Pedro Guedes – que, segundo os seus descendentes, foi um homem «corajoso, arrojado e inovador». «Quisemos homenagear o nosso fundador com um vinho extraordinário. Há muitos anos que sonhávamos criar este vinho, de forma a perpetuarmos a memória de Manoel Pedro Guedes e a sua personalidade arrojada e inovadora, que fizeram dele um homem à frente do seu tempo», referem António e Martim Guedes, CO-CEOs da Aveleda. 

Produzido com as melhores uvas das castas Alvarinho e Loureiro, provenientes das melhores parcelas da Quinta da Aveleda, Manoel Pedro Guedes é inspirado no primeiro blend que a empresa produziu. 

A vindima foi realizada manualmente e as uvas transportadas em pequenas caixas de 15kg e arrefecidas durante o transporte até à adega. Nesta fase, há uma seleção bago-a-bago das uvas, que são depois prensadas de forma suave. A fermentação decorre parte em barricas de carvalho francês (50%) e outra parte em inox (50%). O vinho estagia durante 8 meses: 50% em inox e 50% em barricas de carvalho francês, sendo que metade é de madeira nova (50%) e a outra metade de madeira usada. Apenas uma pequena parte do vinho é selecionada, sendo escolhidas apenas as melhores barricas e cubas para composição do lote final. Este lote é depois engarrafado e repousa durante 1 ano em garrafa. 

Disponível no formato de 750 ml e 1,5l, este vinho revela uma cor amarela de média intensidade e apresenta um aroma harmonioso: notas florais e citrinas, complementado por ligeiro tropical. No paladar, revela uma mineralidade ímpar, assim como uma excelente acidez suportada por uma untuosidade marcante e madeira muito bem integrada. Um vinho que se vai desvendando com tempo no copo. O seu PVP é de 60€, sendo que o vinho estará à venda em garrafeiras e restaurantes de referência, e também na loja de enoturismo da Aveleda. 

Soalheiro investe numa nova garrafa sustentável produzida em Portugal

Numa trajetória contínua de procura de soluções cada vez mais sustentáveis e eficientes, o produtor Soalheiro investiu num novo modelo de garrafa personalizado que será produzido em Portugal. Esta aposta permitiu reduzir no transporte 8,5 vezes as emissões de CO2, já que, até agora, as garrafas vinham do centro da Europa. Para tal, o produtor investiu num modelo de garrafa com um design personalizado e coeficiente que, além de colocar Portugal como fornecedor prioritário, permitiu uma redução de 19% das emissões de CO2 no seu fabrico. 

O novo modelo traz, também, melhorias diversas: «A nova garrafa foi concebida para se guardar mais facilmente no frigorífico e numa prateleira, a pensar nas casas de família, restaurantes e garrafeiras. Tem uma marisa dupla que facilita um corte preciso e elegante da cápsula, a pensar não só nos sommeliers mas também nos apreciadores de vinho. Por último, gravámos o nome Soalheiro no vidro, um pequeno detalhe, uma espécie de assinatura de toda a equipa, de todos os viticultores que ajudaram a escrever a nossa história e cujo esforço queremos ver reconhecido em cada uma das nossas novas garrafas», explicam os irmãos Luís António e Maria João Cerdeira, actualmente as caras mais visíveis do projecto Soalheiro. 

Na trajetória de sustentabilidade estão também as caixas, que consomem agora menos 39% de cartão em cada embalagem, representando uma redução da pegada no transporte. O cartão passou a ser oriundo de florestas geridas de modo responsável (certificado FSC) e a sua funcionalidade veio realçar uma das caraterísticas que António Luís Cerdeira, enólogo do Soalheiro, mais aprecia nos vinhos: «Uma das qualidades marcantes do Soalheiro é a frescura aromática que transporta quando consumido jovem, aliada a uma grande capacidade de evolução em garrafa, que nos surpreende constantemente. Enquanto desenvolvíamos o protótipo da nova caixa com uma empresa portuguesa, decidimos que a caixa deveria passar a contemplar a possibilidade de ser guardada de pé, por quem quer beber o vinho ainda jovem, ou deitada, a posição ideal para que o vinho possa evoluir em garrafa da melhor maneira possível».

Já há muito que o produtor Soalheiro investe em certificação ambiental que, segundo Maria João Cerdeira, «é reflexo do desenvolvimento de uma consciência coletiva na empresa que, só em 2020, permitiu uma redução de 10% nos resíduos de cartão e plástico. Pensar na eficiência ambiental tem permitido reinventar a empresa, reforçando valores centrais para o Soalheiro como a consistência e a qualidade». 

Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito recupera adega centenária

Nada poderia mudar mais um projeto do que a descoberta de um edifício antigo para produção de vinho, dentro da própria adega. Durante os trabalhos de remodelação da Adega da Vidigueira, Cuba e Alvito surgiram estruturas antigas, com várias fases de construção e adaptação à função que agora retoma: uma adega tradicional num edifício nobre da vila de Vidigueira. Após a descoberta, os responsáveis da adega optaram por alterar o sentido da decoração inicial, deixando à vista a estrutura da Adega Velha, o que permitirá ao visitante usufruir do espaço conforme este foi criado e permitir a todos ter contato com a sua história.

«A Adega Cooperativa de Vidigueira Cuba e Alvito está sediada junto da zona nobre e de primeira ocupação da vila de Vidigueira. De facto, não esperávamos que o edifício contíguo à Loja da Adega albergasse uma construção antiga com estas características, o que só vem dignificar esta Adega e a região», refere José Miguel de Almeida, presidente da Adega. 

Após investigação, concluiu-se que esta rua foi ocupada por um número significativo de habitantes no início do séc. XVIII, funcionando como uma zona de expansão recente da vila de Vidigueira. A sua data de origem situa-se entre os finais do séc. XVII e meados do séc. XVIII, a contar pelas várias fases de construção que se encontraram.

A partir de agora a Adega Velha pretende assim ser um complemento da Casa das Talhas, o espaço de enoturismo da Adega, cujo foco é o vinho de talha e toda a sua abrangência história e cultural. O novo espaço de enoturismo poderá ser visitado todos os dias das 9h00 às 19:00 horas.

O produtor de vinho e wine Hotel Torre de Palma lançou recentemente uma loja on-line

O produtor de vinho e wine Hotel Torre de Palma lançou recentemente uma loja on-line –  https://shop.torredepalma.com/ que vai permitir aos enófilos comprar não só vinhos como outros produtos, entre os quais azeite, queijos, fumeiro, mel e ameixas inseridos em vários cabazes.  Estes mesmos cabazes contribuem para a sustentabilidade da região promovendo a genuinidade dos produtos e a região através das parcerias com pequenos produtores locais de excelência. 

Recorde-se que os primórdios do Torre de Palma remontam a 1338, tendo o hotel nascido em 2014, inspirado no modo de vida da distinta família Basilii , antigos habitantes das vizinhas ruínas romanas de Torre de Palma que se dedicavam à agricultura. Tem 19 quartos e suites, piscina interior e exterior, um SPA, um restaurante e um bar. Para além destas infraestruturas, tem ainda ao seu dispor uma sala de cinema, uma capela, um picadeiro, uma horta biológica, um pomar, uma vinha, um pequeno olival, um pequeno bosque, uma loja de produtos regionais e estacionamento privativo. Na entrada, há ainda uma lógica física, onde além de produtos alimentares de pode adquirir algum artesanato. E agora a loja on-line, a mais recente novidade. 

Este hotel de charme no coração do Alentejo vinhateiro não poderia existir sem aquela que é a sua identidade: a produção de vinho e, com ela, o enoturismo. A Adega, que se ergue na Herdade de Torre de Palma como um espaço mágico, é o ex-líbris do culto em torno no vinho. Em conjugação com uma extensa área de vinha, o visitante pode encontrar aqui uma sala de barricas, sala de provas, zona de produção e diversas atividades recreativas e culturais relacionadas com os vinhos do Alentejo.

IVDP lança campanha nacional para dar uma nova linguagem ao Vinho do Porto

O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP) pretende utilizar uma nova linguagem na comunicação do Vinho do Porto e, para esse fim, anunciou uma campanha nacional de comunicação  denominada #ondelevasoteuporto , que será divulgada em televisão (RTP1, RTP3, SIC, TVI, FOX e Hollywood), imprensa, Google, Facebook e Mupis, que contará também com a participação de influencers.

Com esta acção, o IVDP pretende alargar os momentos de consumo de Vinho do Porto de forma a atingir consumidores mais jovens (jovens adultos que frequentam ambientes mais cosmopolitas e descontraídos), aumentar a procura mostrando a extensa variedade de tipos e categorias de Vinho do Porto, e cortar amarras com a tradição do seu consumo exclusivo em momentos solenes. Assim, defende, vai conseguir novos hábitos que democratizem o seu consumo, ampliando o reconhecimento e a notoriedade da marca junto do consumidor, reforçando a competitividade.

«O Vinho do Porto é um dos mais destacados ex libris de Portugal, um dos grandes vinhos do mundo, mas continua a ser muito pouco consumido entre os portugueses pois, na verdade, está associado a momentos de maior tradição. Os ícones sempre presentes, sempre disponíveis, são menos valorizados. É o caso do Vinho do Porto, uma pérola ainda por explorar entre as gerações mais novas, que preferem outras bebidas e deixam o Vinho do Porto para ocasiões especiais», explica Gilberto Igrejas, presidente do IVDP.

A campanha está definida para um target entre os 25 e os 40 anos, em que se aposta numa abordagem digital, com filmes e posts em redes sociais. Fidelizar e aumentar a frequência de consumo dos consumidores tradicionais, alcançar novos consumidores, criar ocasiões de consumo, não esquecendo de fortalecer as existentes, foram premissas no desenvolvimento da campanha. «Esta é uma campanha que pretende provocar emoções, sentimentos e criar uma relação sólida e duradoura com o seu público», conclui o responsável máximo do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto.

Recorde-se que o IVDP tem por missão a certificação das denominações de origem Porto e Douro e a indicação geográfica Duriense. Regulamenta o processo produtivo, exerce a proteção e defesa e promove a imagem de prestígio internacional para as denominações de origem Porto e Douro.

Sandra Tavares é uma das melhores enólogas mundiais

Sandra Tavares da Silva, fundadora e enóloga da Wine&Soul (no Douro) e da Quinta de Chocapalha (Lisboa), acaba de ser eleita como uma das melhores enólogas a nível mundial pela reconhecida crítica e jornalista, Jancis Robinson, no Financial Times. Num artigo publicado recentemente no jornal norte-americano, intitulado ‘Women and Wine – a tipping point’,  Jancis Robinson identifica a lista de enólogas que admira. 

Neste artigo, a crítica fala sobre a elevada sensibilidade comprovada que as mulheres têm na degustação de vinho. Sensibilidade essa que afeta as minúcias das suas decisões no processo de vinificação. «É um enorme orgulho para mim e simboliza toda a dedicação e paixão que entrego a cada projeto. É um mote de motivação para procurar fazer sempre mais e melhor. Fiquei agradavelmente surpreendida por encontrar o meu nome entre outras mulheres enólogas que, tal como eu, têm deixado a sua marca distintiva no mundo dos vinhos», afirma Sandra Tavares.  

Sandra é enóloga e proprietária da Wine&Soul, que fundou em 2001 com o seu marido Jorge Serôdio Borges. Fundada pelo casal de enólogos, a Wine & Soul tem elaborado alguns dos vinhos de maior reconhecimento no Douro. O conhecimento e íntima ligação a cada parcela, aliados à paixão e entrega total de Sandra e Jorge, têm permitido atingir patamares de qualidade únicos e de reconhecimento internacional.  Todos os vinhos produzidos pela Wine & Soul têm uma intervenção mínima durante a vinificação, sendo o seu terroir único a determinar a expressão de cada vinho. Sandra Tavares é também enóloga do projeto da sua família, a Quinta de Chocapalha, em Alenquer. 

Já este ano, a critica Jancis Robinson destacou a Wine&Soul e os seus vinhos, atribuindo uma elevada pontuação no artigo ‘Where Portugal is now – second edition’, no seu site. Nesta edição, onde foram provados mais de 140 vinhos portugueses, o vinho Wine&Soul que obteve a maior pontuação, através da Master of Wine Julia Harding foi o Pintas 2017, com 18 pontos, numa escala de 0 a 20. De seguida, os vinhos Quinta da Manoella Vinhas Velhas 2017 e o Guru Branco 2018 obtiveram uma classificação de 17,5 pontos. Com 17 pontos, está o Pintas Character 2017 e os vinhos Manoella Tinto 2017, Manoella Branco 2019 e Manoella Rosé 2019 receberam a pontuação de 16,5. 

Restaurante de cozinha portuguesa é o novo investimento enoturístico da Adega Mãe

Sal na Adega é o nome do novo restaurante da Adega Mãe, um palco de interpretação da cozinha tradicional portuguesa, em harmonização com os vinhos ali produzidos, nascidos em pleno terroir atlântico e caracterizados pela sua frescura, mineralidade e elegância.

«Este é um restaurante familiar, com muito Portugal e muito amor», afirmou Tiago Velez, o chefe responsável por uma carta onde o bacalhau, símbolo maior da Gastronomia portuguesa, assume papel de relevo, acompanhado pelos produtos de época, da terra e da nossa costa.

O restaurante Sal na Adega surge num espaço único, que inclui também uma nova loja e winebar, orientados para a bonita paisagem de vinhas que domina a região. Em pleno ‘rooftop’ do edifício da AdegaMãe surge assim toda uma nova área, funcional e requintada, preparada para celebrar a gastronomia e o vinho.

Além do restaurante,  existem ainda outras experiências enquadradas no enoturismo da AdegaMãe, desde o célebre Brunch AdegaMãe Sabores, a provas e harmonizações.

Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo recebe distinção internacional

O Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA) foi galardoado na 11.ª edição do The Drinks Business Green Awards, prestigiados prémios internacionais que distinguem a liderança de organizações ou empresas no mundo do vinho e bebidas espirituosas no que concerne a boas práticas ambientais e de sustentabilidade.

«É com grande satisfação que anunciámos mais uma distinção do PSVA. Este prémio enche-nos de orgulho dada a qualidade da competição e o seu caracter de abrangência mundial. Reforça igualmente a nossa mensagem de que a sustentabilidade não é uma moda, mas sim o novo paradigma do século XXI. No Alentejo temos a perfeita noção que para que possamos continuar a produzir vinhos de excelente qualidade, temos a responsabilidade de aumentar a capacidade de regeneração e resiliência dos recursos naturais», salienta João Barroso, coordenador do PSVA.

O PSVA, que assinalou este ano o seu 5.º aniversário, é da responsabilidade da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana e foi criado com o objetivo de trazer a produção sustentável, como um todo, à produção vitivinícola da região, ao trabalhar de forma transversal e integrada a atividade económica, o tecido laboral e social e a envolvente ambiental.

Foi na categoria ‘The Amorim Sustainability Award’ para uma associação que o PSVA foi distinguido, concorrendo com o projeto ‘International Wineries for Climate Change’ e também com os ‘Wines of Great Britain’.

Com esta nova distinção, o PSVA encerra o ano 2020 com chave de ouro, contabilizando já oito galardões, entre os quais se destacam os Prémios Europeus de Promoção Empresarial, uma iniciativa da Comissão Europeia e coordenada, em Portugal, pelo IAPMEI, o recebimento do título de Embaixador Europeu de Inovação Rural pelo projeto LIAISON, uma Parceria Europeia de Inovação para a Produtividade Agrícola e Sustentabilidade lançada, igualmente, pela Comissão Europeia, ou a “Iniciativa do Ano 2019”, por parte dos Prémios Grandes Escolhas, organizados pela revista com o mesmo nome.

Graham’s celebra o Natal com vinho, bolo rei e uma exposição de fotografia.

Num ano atípico como o de 2020, as Caves Graham’s decidiram celebrar o Natal reunindo alguns dos clássicos da época, o vinho do Porto, o bolo-rei, e os bombons de chocolate. A par destas propostas, é ainda sugerida a visita gratuita à exposição fotográfica ‘Os Rostos da Vindima’. A mostra reúne 45 imagens que retratam o quotidiano dos trabalhadores das vindimas na Quinta da Senhora da Ribeira, uma das propriedades da Família Symington. 

Degustar um cálice de Tawny Graham’s 20 anos com o tradicional bolo-rei, que é apresentado numa versão mini, adequada para o momento de prova, é uma das propostas das Caves Graham’s. A esta sugestão junta-se ainda uma nova prova, exclusiva do mês de Dezembro, que inclui o Graham’s LBV 2015 (vinho que assinala o bicentenário desta reconhecida marca), queijo e um bombom exclusivo com recheio de LBV. As duas novas experiências estão disponíveis pelo valor de 7,50 euros cada e podem ser apreciadas na sala de provas do Lodge. 

Na exposição de fotografia, os visitantes podem também ficar a conhecer os retratos dos heróis invisíveis do Douro – homens e mulheres que trabalharam este ano nas vindimas da família Symington, captados através da objetiva de Francisco Soares. O fotógrafo residente teve a oportunidade de acompanhar a apanha da uva na Quinta da Senhora da Ribeira, no Douro Superior, resultando na exposição que revela as pessoas por detrás deste trabalho árduo. É possível ficar a conhecer estas imagens até Fevereiro do próximo ano. As marcações das visitas podem ser feitas através do site symington.com ou do e-mail grahams@grahamsportlodge.com.

APENO e AEE promovem Aliança Ibérica do Turismo EnoGastronómico

O webinar entre associações congéneres do enoturismo vai contar com a presença de destacadas personalidades da gastronomia portuguesa e espanhola e discutir a importância da harmonização entre a comida e o vinho para o sector do enoturismo.

A APENO – Associação Portuguesa de Enoturismo estabeleceu recentemente uma parceria com a AEE – Associação Espanhola de Enoturismo, que futuramente dará origem à realização de diversas iniciativas com o objectivo de valorizar e destacar o enoturismo português e espanhol, respectivamente. 

A primeira destas iniciativas irá decorrer já no próximo dia 30 de novembro, às 18horas, sob a forma de um webinar onde se discutirá a importância do vinho e da comida no sector do enoturismo, nomeadamente em Portugal e em Espanha, países com uma riqueza gastronómica e vínica mundialmente reconhecidas. «A APENO está neste momento a firmar parcerias com diversas associações de enoturismo mundiais a pensar na internacionalização e na organização de iniciativas que nos vão ajudar a ser uma referência mundial neste sector. Esta aliança ibérica com a Associação Espanhola de Enoturismo foi a primeira a ser realizada e faz todo o sentido, na medida em que são dois países que tão bem sabem receber os seus visitantes, com uma oferta gastronómica e vínica ímpar», afirma Maria João de Almeida, Presidente da APENO – Associação Portuguesa de Enoturismo e Delegada para Portugal da OMET – Organização Mundial do Enoturismo.

Já José António Vidal, simultaneamente Presidente da AEE – Associação Espanhola de Enoturismo e da OMET, afirma: «A gastronomia tornou-se um elemento dinamizador socioeconómico, que não só atrai um segmento gourmet em crescimento, mas também enriquece a percepção do destino para turistas nacionais e internacionais, constituindo um produto prioritário e transversal que o sector enoturístico deve incorporar na sua oferta de serviços». 

Cientes da importância que pode ter esta aliança, os presidentes de ambas as associações concordam e afirmam ainda em comunicado que «Unir forças era inevitável» já que são «dois países historicamente unidos e geminados pela geografia, pela hospitalidade de seu povo e por seu patrimônio tangível e intangível»

O evento contará ainda com a participação de influentes personalidades do sector gastronómico, nomeadamente José Bento dos Santos (Presidente da Academia Portuguesa de Gastronomia), Rafael Ansón (Presidente Honorário da Real Academia Espanhola de Gastronomia), Paulo Mendonça  (Vice-Presidente de AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal) e Pepa Muñoz (Presidente de FACYRE – Federação das Associações de Cozinheiros e Confeiteiros da Espanha).

O webinar será realizado na plataforma ZOOM, através de um link disponibilizado pela APENO – Associação Portuguesa de Enoturismo que deverá ser solicitado através de info@enoturismodeportugal.pt

Uma conversa fundamental no apoio à reinvenção do enoturismo numa época de grandes incertezas.

Mais informações: 

Maria Melícias

E-mail: info@enoturismodeportugal.pt

Telm: 960481009