Monte da Ravasqueira, um enoturismo de referência

A família Mello encontra-se ligada a esta propriedade há já várias gerações, e nela realizou grandes investimentos na plantação de vinhas e equipamento para a adega. Para a escolha das castas mais apropriadas e dos melhores locais para a sua plantação foram iniciados em 1998 estudos geológicos que contaram com o apoio técnico de consultores nacionais e internacionais, com vasta experiência no sector. Inspirada nas adegas de Napa Valley, na Califórnia, a adega está dotada da mais avançada tecnologia, sendo gerida através de um programa informático desenvolvido no Monte da Ravasqueira. Além da vinha e do vinho, também existe nesta propriedade cortiça, azeite, mel, criação de gado bovino e engorda de porco preto alentejano.  

Ao nível do enoturismo há muita diversidade de actividades. Durante o passeio nas vinhas e na adega, conta-se a história da propriedade e explicam-se as castas, o solo, o clima, as técnicas ali utilizadas e a vindima. Organizam-se cursos de vinho e uma série de actividades outdoor em parceria com empresas de lazer, como passeios de bicicleta, de jipe e de balão, peddy papers, actividades aquáticas, acções de team building, entre outros. Existe também uma sala de reuniões para empresas, um restaurante e uma sala de provas envidraçada com vista para a cave das barricas. Não se pode deixar de visitar o museu de atrelagens, uma colecção de rara beleza iniciada pelo empresário José Manuel de Mello, pai dos actuais proprietários, que era um grande apaixonado por cavalos. No final da visita podem adquirir-se vinhos e presentes de merchandising na loja.

Conheça melhor este produtor aqui: https://www.ravasqueira.com/

Enoturismo na região histórica de Colares

O Casal Sta. Maria situa-se na histórica região de Colares, na encosta da Serra de Sintra, a 2 km do Cabo da Roca − o ponto mais Ocidental da Europa continental. A produção de vinho na propriedade foi interrompida no princípio do séc. XX. Cem anos passados, foi iniciada a produção de vinha, a adega foi modernizada e ali são produzidos vinhos tintos e brancos de reconhecimento nacional e internacional.

Para a plantação da vinhas foram consultados especialistas / viticultores  portugueses e franceses, que estudaram os solos da quinta e o clima da região de forma a definir as variedades mais aptas para a produção de vinhos de qualidade. Sob os solos franco-argilosos, com grandes afloramentos de granito, ricos em matéria orgânica, resultado da Coudelaria de Cavalos Árabes aqui existente nos anos 70 e 80, as vinhas encontraram grande conforto e adaptaram-se ao clima oceânico que por vezes castiga a vinha com fortes ventos norte.

As variedades portuguesas escolhidas foram a Malvasia de Colares, Arinto e Alvarinho. Nas internacionais, a Chardonnay, Sauvignon Blanc, Riesling e Petit Manseng. No caso dos vinhos tintos foram plantadas a portuguesa Touriga Nacional, e as francesas Merlot e Pinot Noir, revelando este último uma espetacular adaptação a Colares.

O Casal de Santa Maria recebe ainda visitantes na sua quinta, que podem visitar a propriedade e fazer provas de vinho. Conheça melhor a propriedade, aqui: https://casalstamaria.pt/

Espaços de Enoturismo da José Maria da Fonseca reabrem com programa para famílias

Os dois espaços de Enoturismo da José Maria da Fonseca, a Casa Museu José Maria da Fonseca, em Azeitão, e a Adega José de Sousa, em Reguengos de Monsaraz, reabrem no dia 6 de Abril, com várias ofertas de visitas, incluindo um novo programa para toda a família. Além da visita guiada, este programa inclui a degustação de vinhos, sumos e produtos regionais. 

Em Azeitão, os visitantes da Casa Museu José Maria da Fonseca têm a possibilidade de conhecer a história de quase 200 anos da produtora de vinho, além de visitarem as adegas antigas – Adega da Mata, Adega dos Teares Novos (onde estagia, por exemplo, o vinho Periquita) Adega dos Teares Velhos (onde repousam os Moscatéis de Setúbal mais antigos) – e o bonito Jardim. 

Em Reguengos de Monsaraz, os visitantes da Adega José de Sousa encontram uma das adegas mais emblemáticas e antigas do Alentejo, que alia dois estilos muito distintos, entre a tradição e a inovação. Nesta Adega, que preserva a autenticidade da produção dos vinhos de talha, os visitantes podem encontrar 114 ânforas de barro usadas para o método de fermentação ancestral e raríssimo destes vinhos, iniciado há mais de 2000 anos pelos romanos. Ao longo da visita, são explicadas algumas técnicas e equipamentos que visam facilitar a produção dos vinhos de talha, sem adulterar a essência da sua vinificação. 

No Programa Família, a visita à Casa Museu José Maria da Fonseca e à Adega José de Sousa terminam com uma prova de 2 vinhos para os adultos, uma prova de 2 sumos para as crianças, a degustação de produtos regionais, actividades para as crianças e oferta de lápis de cor. 

Mais informações em: +351 212 198 940 . E-mail: enoturismo@jmfonseca.pt

Fundação Eugénio de Almeida reabre espaços de Enoturismo

Decidida a iniciar um percurso no sentido do gradual regresso à normalidade, a Fundação Eugénio de Almeida reabre, a partir do próximo dia 5 de abril, vários dos seus espaços em Évora, de que são exemplo a Enoteca Cartuxa, o Enoturismo Cartuxa e ainda a Loja da Adega. Respeitando as normas indicadas pela Direção Geral de Saúde, serão aplicados todos os procedimentos necessários de higiene, segurança e distanciamento social. 

Convidando eborenses, e todos aqueles que visitem a cidade de Évora a descobrir o que de melhor se faz na cozinha alentejana, a Enoteca Cartuxa reabre ao público, voltando a oferecer a excelência da qualidade dos seus ingredientes e os sabores da gastronomia regional reinventados de forma atual. Assim, voltará a ser possível usufruir da vista encantadora da esplanada da Enoteca sobre o Templo de Diana e abraçar os dias primaveris que se avizinham.

Também o Enoturismo Cartuxa, que agrega a Loja da Adega, vai voltar a permitir que os seus visitantes usufruam da envolvência única da Quinta de Valbom, ao realizarem provas de vinhos e azeites ao ar livre. A partir de 19 de abril voltará também a ser possível desfrutar de visitas pelo interior da Adega Cartuxa – em grupos de pessoas limitados ao número indicado pela Direção Geral de Saúde – que permitirão conhecer a história do edifício onde a adega foi fundada.

A Fundação Eugénio de Almeida reabre a Enoteca Cartuxa, que funcionará todos os dias entre as 12h30 e as 22h00, bem como o Enoturismo Cartuxa e a Loja da Adega, no horário compreendido entre as 9h00 e as 18h00 de segunda a sexta e das 9h às 13h nos dois próximos fins de semana.

Torre de Palma Wine Hotel reabre com programa especial

O Torre de Palma Wine Hotel, no Alto Alentejo, irá reabrir no próximo dia 8 de abril com um programa especial de fim-de-semana prolongado e diversas sugestões para experiências ao ar livre, aproveitando a chegada da Primavera, desfrutando a natureza e a calma que se vive em plena planície alentejana, com todas as medidas de segurança em vigor.

Com o mote ‘venha viver com segurança e tranquilidade a magia de Torre de Palma’, a unidade hoteleira, inserida numa propriedade de 14 hectares com vastas áreas verdes, convida a sair de casa e aproveitar o primeiro grande fim-de-semana de reabertura com um programa especial, dentro e fora de portas, para duas pessoas, disponível até dia 19 de abril. Esta sugestão inclui um welcome drink com copo de vinho Torre de Palma ao pôr do Sol no topo da Torre; três noites de alojamento com pensão completa; visita guiada à Adega de Torre de Palma; passeios de bicicleta ao redor da propriedade; percursos pedestres como a Grande Rota de Monforte; acesso à piscina interior com marcação e livre acesso à exterior e  10% de desconto em todas as atividades que Torre de Palma proporciona: experiências vínicas; workshops para crianças; atividades equestres e tratamentos de spa.

«O Torre de Palma é o refúgio campestre perfeito para descansar e aproveitar a natureza com um vasto leque de experiências para toda a família, onde todas as medidas que garantem a saúde e segurança dos nossos hóspedes são a nossa prioridade», refere Luísa Rebelo, proprietária do hotel. «Na nossa companhia, os visitantes podem usufruir de passeios de charrete, percursos pedestres com piquenique no meio do campo, provas de vinhos ao ar livre com passeios pelas vinhas, degustar delícias gastronómicas, com novidades para breve, e ainda apreciar o deslumbrante pôr do sol no cimo da Torre com um copo de vinho Torre de Palma», reforça Luísa Rebelo.

Para se viver uma estadia tranquila e segura em Torre de Palma Wine Hotel, os hóspedes podem também usufruir de refeições nos terraços das suites ou nos vários espaços exteriores do hotel, bem como quartos com entrada direta para o exterior e com esplanadas e master suite para famílias com piscina privada. E se já surgir algum cansaço de trabalhar em casa e com necessidade de mudar de ambiente, Torre de Palma transforma-se na sua casa em pleno coração alentejano, com um programa especial para quem trabalha remotamente, que irá ajudar a recarregar baterias e aumentar a criatividade e produtividade.

O Alentejo e as suas paisagens convidam a grandes passeios e à descoberta de tanto património que esta região tem para oferecer. Torre de Palma Wine Hotel aguarda uma visita para viver experiências autênticas.

APENO anuncia Pós-Graduação de Vinho e Enoturismo inovadora lançada em parceria com prestigiadas instituições de ensino

A APENO – Associação Portuguesa de Enoturismo, a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e o IPLUSO/ESCAD – Instituto Politécnico de Lusofonia / Escola Superior de Ciências da Administração, trabalharam em conjunto para desenhar uma Pós-Graduação inédita onde, mais do que nunca, a teoria e a prática vão andar de mãos dadas. Do corpo docente fazem parte reconhecidas personalidades do vinho e do enoturismo, e as aulas iniciam em Outubro. 

O Enoturismo é um produto turístico fundamental para o desenvolvimento das regiões vitivinícolas e de toda a indústria relacionada com o mundo do vinho que, ao longo dos anos, alcançou uma notoriedade considerável. Por essa razão, a Universidade Lusófona, o IPLUSO/ESCAD e a APENO firmaram uma parceria para construir de raiz um curso de Pós-Graduação (PG) em Vinho e Enoturismo, com um programa que abrange o mundo do vinho na sua globalidade, desde a enologia à análise sensorial dos vinhos de cada região, assim como às suas tipicidades. A PG fica completa com um conjunto de unidades curriculares que pretendem dotar os participantes de conhecimentos relacionados com a história, as práticas e a gestão do enoturismo. Um programa muito completo onde o vinho e o enoturismo são abordados por um corpo docente muito experiente / diversos e reconhecidos players do mercado, figuras incontornáveis do mundo do vinho e da gastronomia, nomeadamente produtores e enólogos, responsáveis de enoturismo, empresas de distribuição, sommeliers, chefes de cozinha, entre outros. A apadrinhar esta PG, está também a OMET / GWTO – Organização Mundial de Enoturismo / Global Wine Tourism Organization, que organizará juntamente com a APENO um conjunto de webinars relevantes onde se discutirão temas pertinentes do Enoturismo a nível mundial. 

«A ideia surgiu naturalmente. O enoturismo cresceu e ganhou uma enorme visibilidade ao longo dos anos. Por isso desafiámos a APENO a apoiar-nos na missão de construir de raiz esta pós-graduação que será lecionada através de aulas presenciais e em b-learning»,afirma Mafalda Patuleia, Diretora de Turismo da Universidade Lusófona. «A adoção duma metodologia mista de ensino, permitirá que as unidades com maior necessidade de contacto sensorial sejam lecionadas em sala de aula, sendo complementadas pelo ensino e colaboração à distância», remata.

A coordenar a PG está o Sommelier e Docente de Enogastronomia, Arlindo Madeira; e a Jornalista de Vinho e Presidente da APENO, Maria João de Almeida; ambos com grande experiência nos sectores do vinho e do enoturismo. No programa, foram tidas em conta as temáticas mais pertinentes nestes sectores, que vão permitir aos participantes adquirir conhecimentos relacionados com: Práticas e técnicas enológicas;  Experimentação e tendências enológicas; Prova sensorial do vinho; Enogastronomia;  Serviço do vinho em fine dining; História e desenvolvimento do Enoturismo, a Carta Europeia do Enoturismo;  Casos de sucesso e tendências do Enoturismo; Criação de valor através do Enoturismo; Gestão de empresas , produtoras de vinho; Gestão de distribuidoras de vinho; Criação e gestão de marcas de vinho; Criação e gestão de marcas e branding e Criação e gestão de empresas de Enoturismo. «Com esta PG quisemos ser muito abrangentes. Há gente de Turismo que não percebe de vinho e vice-versa, mas para alguém se dedicar verdadeiramente à área do Enoturismo, é necessário ter formação nas duas áreas de forma a oferecer o melhor serviço possível», Diz Arlindo Madeira.  «A PG vai decorrer de Outubro a Janeiro do próximo ano e, pela qualidade das temáticas e dos docentes, temos a certeza que será um sucesso», remata.

Maria João de Almeida, Presidente da APENO, não podia estar mais de acordo: «A área da formação sempre foi uma questão de honra para a APENO, por isso, quando surgiu esta oportunidade, foi um prazer desenhar de raiz esta PG que é completamente diferente do que tem sido feito, é uma pedrada no charco. Queremos trazer o mundo real do Vinho e do Enoturismo para dentro da universidade e, para isso, contamos com a experiência de profissionais que trabalham no mundo real», afirma. E graceja: «Este é o tipo de PG que eu gostaria de fazer. Infelizmente não posso, porque a estou a coordenar e também vou lecionar!».

Uma equipa de luxo composta por nomes de referência 

Tal como referem os coordenadores, «boas lições não vão faltar, assim como debates interessantes no setor do Enoturismo». Assim será, a ver pelo painel de docentes onde constam, além dos próprios, alguns dos nomes mais sonantes dos sectores do vinho e enoturismo: Frederico Falcão (Presidente da ViniPortugal); Bernardo Gouvêa (Presidente do IVV); Francisco Mateus (Presidente da CVR Alentejo); os enólogos Anselmo Mendes e Paulo Laureano; os produtores Dirk Niepoort e Luís Pato; o Sommelier Gonçalo Patraquim; Paula Sousa (Directora de Enoturismo da Aveleda); Dominic Symington (Presidente do Conselho de Estratégia Comercial da Symington Family Estates).; Frederico Mourão (Director de Enoturismo da Symington Family Estates); António Soares Franco (Vice-Presidente da José Maria da Fonseca); Sofia Soares Franco (Directora de Enoturismo da José Maria da Fonseca) Rita Nabeiro (CEO Adega Mayor) ; Bernardo Alves (CEO Adega Mãe); Ana Teixeira (Directora de Enoturismo Global Wines); José Espírito Santo (CEO Vinalda); Bruno Amaral (Director de Distribuição Vinalda); Sérgio Pereira (Sommelier e Director de Vinhos Vinalda); Martim Guedes (CEO Aveleda); Ana Luísa Rebelo (Directora de Enoturismo, Vendas e Marketing Torre de Palma); Alexandre Relvas (CEO Casa Alexandre Relvas); Luísa Amorim (CEO Quinta Nova Nossa Senhora do Carmo); Lídia Monteiro (Directora de Marketing Turismo de Portugal); Nelson Guerreiro (Sommelier e Brand Ambassador Garrafeira Nacional); Paulo Sottomayor (CEO WINTP – Wine Tourism in Portugal); José Serôdio (CEO Enoteca Clube de Vinhos); Bento Amaral (Director de Serviços Técnicos e de Certificação do IVV); Rubina Vieira (responsável do Gabinete de Ações Educativas do IVBAM); Domingos Soares Franco (Director de Enologia da José Maria da Fonseca); Luís Souto (Empresário e Vice- Presidente da APENO); o Sommelier António Lopes; Bento dos Santos (Produtor de vinhos e Presidente da Academia Portuguesa de Gastronomia); e as duplas Chef de Cozinha / Sommelier João Rodrigues e André Figuinha (do restaurante Feitoria, em Lisboa); e Rui Paula e Carlos Monteiro (da Casa de Chá da Boa Nova, em Leça da Palmeira).

Mais informações: 

Alexandra Oliveira 

Universidade Lusófona

E-mail: alexandra.oliveira@ulusofona.pt

Telf. 217 515 500 

Sustentabilidade e Certificação como fator de diferenciação no Enoturismo

Numa época em que a sustentabilidade e a certificação estão na ordem do dia, a APENO promove uma conferência on-line no dia 29 de Março, das 17h às 18h, via plataforma Zoom, onde vai explicar como é que as empresas dedicadas ao enoturismo se podem tornar mais sustentáveis. 

Nesta conferência, moderada pela Presidente da APENO – Associação Portuguesa de Enoturismo, Maria João de Almeida, estarão presentes responsáveis da Biosphere Portugal, empresa especializada em consultoria no desenvolvimento de modelos de gestão para a sustentabilidade e de certificação internacional (parceira da APENO) que explicarão os benefícios e vantagens destas áreas, exemplos de boas práticas, assim como casos práticos e informação sobre projetos financiados que podem ajudar as empresas de enoturismo a colocar em prática planos de acção de sustentabilidade e serviços de certificação de acordo com os critérios definidos pelo Global Sustainable Tourism Council e alinhados com os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e Agenda 2030.

Sendo que um dos objetivos da APENO é apoiar cada vez mais os seus associados a trabalhar cada vez melhor, de forma a tornar o enoturismo português numa referência a nível mundial, não deixe de participar nesta conversa e inscreva-se aqui:  https://enoturismodeportugal.pt/conferencia-online/

* Devido à relevância do tema, a conferência será aberta a associados e não associados.  

Nota: o envio do link da conferência será enviado para o seu e-mail um dia antes da conferência.

Novo Verdelho DSF já no mercado

Acaba de chegar ao mercado a colheita de 2020 do Colecção Privada DSF Verdelho. Esta gama de vinhos pertence a uma reserva especial de Domingos Soares Franco, o enólogo e vice-presidente da José Maria da Fonseca, e este é um dos seus vinhos mais emblemáticos que em breve estará disponível – assim o ‘desconfinamento’ o permita – em garrafeiras, restaurantes selecionados, e também na loja da Casa Museu da JMF em Azeitão, onde a empresa tem o seu enoturismo. 

O Colecção Privada DSF Verdelho 2020 traduz na perfeição o compromisso e o empenho que Domingos Soares Franco impõe nas suas criações. Tem um perfil aromático citrino e floral, com notas de especiaria. No paladar apresenta boa estrutura e frescura, com um bom final de boca. Premiado ao longo dos últimos anos com pontuações de excelência, é um vinho que representa a experiência pessoal de Domingos Soares Franco no hemisfério sul, evidenciando-se uma influência australiana. 

Representante mais novo da sexta geração da família, Domingos Soares Franco é uma referência incontornável no panorama vitivinícola da região e do país. Embora assine todos os vinhos da José Maria da Fonseca, estes vinhos da sua Colecção Privada são especiais na medida em que é a forma como Domingos Soares Franco interpreta, ao seu gosto, as castas e os diferentes terroirs onde elas crescem.

Quinta de Santa Teresa com novas propostas de Enoturismo

A A&D Wines, acaba de apresentar as novas ofertas para a Quinta de Santa Teresa, o seu ponto de enoturismo localizado na sub-região de Baião que irá reabrir no próximo dia 5 de abril com todas as medidas de segurança impostas pela Direção Geral de Saúde. 

Berço das uvas com que são produzidos os vinhos Singular e Monólogo, a Quinta de Santa Teresa oferece quatro tipos de provas de vinho que irão tornar a visita do enoturista numa experiência única. Nesta primeira fase, devido ao atual contexto pandémico, a quinta aceitará grupos até 4 pessoas. 

As novidades baseiam-se em quatro pacotes, que vão dos 15€ aos 50€, incluindo visita ao local e provas distintas: a Standard – prova de dois vinhos da quinta (15,00€); a Avesso Experience – prova de vinhos Avesso na sua máxima expressão (20,00€); a Top Range – prova dos melhores brancos e rosé da quinta (30,00€) e a Without Limits – prova personalizada  alargada ao portfolio completo da quinta (50,00€). A oferta contempla passeios nas vinhas e jardins, o contacto com o dia-a-dia da quinta e termina com a prova de vinhos que o enoturista decidir. 

A Quinta de Santa Teresa, propriedade da A&D Wines desde 2015, conta com várias edificações de valor arquitetónico relevante e outros pontos de interesse, como a casa principal, os jardins, lagos, a piscina e um bosque que irão apaixonar os amantes do enoturismo. A sala de provas com vista panorâmica sobre o vale do rio Douro é ainda um local obrigatório nesta quinta que fica na linha de fronteira entre a região de Vinhos Verdes e a região do Douro.

Sotheby’s leiloa caixa com vinhos produzidos por 12 históricas famílias europeias

Estabelecida em 1992, a Primum Familiae Vini (PFV), associação internacional de algumas das famílias produtoras de vinhos mais conceituadas de França, Alemanha, Itália, Portugal e Espanha, representa alguns dos nomes de referência que se mantêm até hoje em propriedade familiar. Todos os anos, cada família PFV seleciona um dos seus melhores vinhos para compor 12 caixas de edição limitada, numeradas individualmente. A Sotheby’s coloca em leilão a Caixa Nº 1, de doze, da seleção deste ano.

A distinguir esta Caixa de Colecionador, Número 1 da edição limitada de 2020, está a adição de um raro passaporte Primum Familiae Vini. Com a base de licitação a começar nas £30.000, este lote individual muito especial abre a venda online de vinhos da Sotheby’s, a decorrer desde o dia 12 até ao dia 29 de Março. 

O Passaporte PFV representa uma das mais incríveis experiências no mundo do vinho. Possibilita ao comprador uma visita única a cada um dos membros da PFV, com o compromisso inerente da presença de um familiar, para receber o contemplado com o passaporte (e até mais três familiares ou amigos) para um almoço ou jantar na sua respetiva propriedade. O passaporte não tem termo de caducidade e a experiência pode ser vivida a qualquer momento.

A Symington Family Estates, que pertence a este grupo familiar restrito, é um dos maiores produtores mundiais de vinho do Porto premium, o principal proprietário de vinhas no Alto Douro e um dos principais produtores de vinho de Portugal. «Nesta caixa de edição limitada, encontrarão um dos melhores vinhos que cada um de nós produziu nos anos recentes, sendo cada uma delas assinada por nós. Aguardamos com expetativa a oportunidade de partilhar oportunamente, uma boa garrafa de vinho num almoço ou jantar com o licitante vencedor», afirmou Paul Symington, Chairman da PFV.

A Caixa PFV de Edição Limitada de 2020 contém os seguintes vinhos:

• Egon Müller Scharzhofberger Auslese Goldkapsel 2018, Weingut Egon Müller

• Cuvee Sir Winston Churchill 2008, Pol Roger Champagne

• Montrachet Marquis de Laguiche 2017, Joseph Drouhin

• Vega Sicilia Unico 2010, Tempos Vega Sicilia

• Solaia 2016, Marchesi Antinori

• Mas de la Rosa 2016, Familia Torres

• Sassicaia 2017, Tenuta San Guido

• Château Haut-Brion 2009, Domaine Clarence Dillon

• Hommage à Jacques Perrin Château de Beaucastel 2009, Famille Perrin

• Château Mouton Rothschild 2015, Baron Philippe de Rothschild

• Graham’s The Stone Terraces 2017 Vintage Port, Symington Family Estates

• Gewurztraminer Selection de Grains Nobles “S” 2010, Famille Hugel