Casa Relvas lança Programa de Vindimas

Desde o dia 20 de agosto até 20 de setembro, o produtor do Redondo abre as portas da Herdade de São Miguel para receber os apaixonados e curiosos pelo vinho e a sua arte, para o seu (imperdível) Programa de Vindimas.

Além de dar a conhecer a essência do Alentejo, e da arte tradicional de vindimar, esta iniciativa com o selo da Casa Relvas – inserida na sua atividade de enoturismo – tem ainda como intuito mostrar o quotidiano do trabalho na vinha e na adega, levado a cabo pela equipa do produtor alentejano, nesta época do ano.  

Este programa, que tem obtido uma grande adesão nas últimas edições, promete proporcionar momentos únicos e inesquecíveis a quem visita a Herdade de São Miguel. Os participantes poderão vestir a camisola da Casa Relvas por um dia com o kit de oferta, que inclui uma t-shirt da Harvest Crew 2021, assim como um chapéu de palha. Como vivemos numa altura em que a proteção individual é fundamental, o produtor do Redondo oferece ainda uma máscara a todos os visitantes. 

 Com uma duração de cerca de cinco horas, o programa de vindimas da Casa Relvas é composto por diversas atividades ligadas ao vinho. Os participantes iniciam a visita com um passeio pela vinha, com identificação de castas e análise sensorial de bagos, grainhas e engaços e ainda experienciam a vindima manual. Já na adega da Herdade de São Miguel, podem aventurar-se na pisa a pé e ainda a prova de mostos e vinhos. Se os visitantes desejarem, este programa pode também incluir almoço ao ar livre com especialidades locais.

 «Começámos a vindima no início do mês, e desde o dia 20 de agosto começámos a receber todos aqueles que nos queiram visitar. Com o programa de vindimas queremos que quem nos visita possa sentir o espírito da Casa Relvas, e fazer parte da nossa equipa por um dia. Esta é uma experiência muito autêntica, de contacto direto com a terra, a cultura e as tradições do nosso Alentejo, e apesar de todo o ano termos várias experiências de enoturismo disponíveis, a vindima é por si só um momento alto, que muito gostamos de partilhar, e por isso deixamos o convite para que venham vindimar connosco na Herdade de São Miguel», refere Alexandre Relvas, CEO da Casa Relvas.

 O responsável acredita que este será um ano de qualidade acima da média e uma quantidade semelhante à colheita de 2020, graças ao inverno passado, bastante chuvoso, e à primavera e verão, ambos amenos. Caso as condições climatéricas se mantenham, 2021 será um ano excelente para o produtor do Alentejo.

 É de realçar ainda que a Casa Relvas lançou recentemente uma nova plataforma online – Casa Relvas & Friends (www.casarelvasandfriends.pt) – que nasceu com o propósito de celebrar a amizade e as tradições alentejanas. Para além dos vinhos e azeites do produtor do Redondo, o site apresenta edições especiais produzidas em parceria com amigos da Casa Relvas. Nesta plataforma, os clientes podem ainda adquirir experiências únicas de enoturismo, como provas de vinho ou o Programa de Vindimas.

PROGRAMA DE VINDIMA 2021

Programa de 5 horas, incluindo: 

Passeio na vinha | Identificação de castas e análise sensorial de bagos, grainhas e engaços

Vindima manual | Pisa a pé | Prova de mostos

Prova de vinhos e almoço (opcional)

€40 s/ almoço | € 70 c/ almoço 

Oferta de t-shirt e chapéu das Vindimas 2021

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

2 a 10 participantes, em grupo único (reserva de um grupo por dia)

Reserva com 72h de antecedência – enoturismo@casarelvas.pt

Obrigatório uso de máscara e distância de segurança

Lançados novas colheitas de Saturno Reserva

A 1990 Premium Wines, divisão de vinhos premium do grupo Global Wines, acaba de lançar no mercado os novos vinhos Saturno Reserva Branco 2019 e Saturno Reserva Tinto 2018, produzidos na Herdade Monte da Cal. Originários das vinhas desta herdade e adega criadas em 2007, estes Reserva são uma novidade no portfolio e revelam a autenticidade do Alto Alentejo, onde os vinhedos a perder de vista se destacam na planície, inspiram à tranquilidade e à calma e convidam a um regresso às origens. 

A marca é inspirada em Saturno, deus romano das colheitas e sementeiras, patrono dos agricultores e portador da abundância. É esta figura mitológica que acompanha estes dois novos vinhos, ambos marcadamente alentejanos, com uma personalidade vincada que traduz o terroir onde são produzidos, no norte do Alentejo, do qual nascem vinhos excecionais. 

No Saturno Reserva Branco 2019 o blend de Antão Vaz (40%), Alvarinho (30%) e Arinto (30%) dá origem a um vinho intenso e fresco, de boa acidez, harmonioso – um alentejano que marca a sua passagem, com uma produção limitada a sete mil garrafas. O Saturno Reserva Tinto 2018 também revela bem o terroir, sendo um vinho frutado e bem estruturado, produzido a partir das castas Touriga Nacional (40%), Alicante Bouschet (30%) e Syrah (30%) que lhe conferem o equilíbrio de um grande vinho, também reforçado pelo envelhecimento de 12 meses em barricas de carvalho francês.  

São vinhos que mostram um Alentejo diferente, único, pelo simples fato de preservarem e enaltecerem as melhores características das uvas aqui cultivadas.  São também os precursores de uma nova filosofia na produção vínica da Herdade Monte da Cal, que reserva mais novidades no curto prazo. 

“Fizemos estes vinhos à imagem desta herdade, que traduz um Alentejo que inspira à tranquilidade e à calma, um Alentejo onde o tempo se demora e onde é possível viver a experiência de novas aventuras no seio da riqueza natural de uma paisagem tão particular, rodeada de vinhas que se perdem no horizonte. Estes novos Reserva assinalam uma nova aposta numa gama exclusiva, que terá novidades em breve”, refere Vítor Castanheira, CEO da 1990 Premium Wines, a divisão do grupo Global Wines responsável pela gestão da Herdade Monte da Cal e do seu portfolio de vinhos. 

Ambos os vinhos, Saturno Reserva Branco 2019 e Saturno Reserva Tinto 2018, têm um preço de venda aconselhado de 9,99€, estando disponíveis em garrafeiras, na restauração e na loja online, em https://1990.wine/loja/

Tapada do Chaves lança nova colheita do Reserva Tinto

A Tapada do Chaves, propriedade vitivinícola alentejana situada em Frangoneiro, nos arredores de Portalegre – actualmente detida pela Fundação Eugénio de Almeida – lançou a nova colheita do seu Reserva tinto (2015).  Produzido com as castas Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet, provenientes de solos graníticos das vinhas das Malhadas; das Moutas e da Vinha Velha (datada de 1901). Após vindima manual proveniente dos vários talhões existentes na Tapada entre os 350 e 400 metros de altitude, os melhores bagos foram também selecionados manualmente. A vinificação foi realizada com desengace total e maceração pelicular pré-fermentativa a frio durante 5 dias. A fermentação foi feita naturalmente, com leveduras indigenas, em depósitos de aço inoxidável a temperatura controlada. Após maceração pós-fermentativa de 30 dias, estagiou 12 meses em barricas de carvalho português e francês em barricas de 300 e 525 litros com desenvolvimento espontâneo da fermentação malolática. Antes de ser lançado para o mercado ainda ficou guardado em garrafa durante 24 meses. Este tinto será distribuído por garrafeiras e restaurantes de refrência e também nas unidades de enoturismos pertencentes à Fundação Eugénio de Almeida. 

De aroma frutado e mineral, sobressaem ainda notas balsâmicas. Na boca é rico, com taninos elegantes e uma acidez muito equilibrada. Final intenso e complexo, com fruta e volume muito persistentes.

No ano de 2015 a primavera surgiu com temperaturas amenas e um baixo nível de precipitação média. O verão foi quente, verificando-se no entanto elevadas amplitudes térmicas entre dia e noite na região de Portalegre, permitindo uma maturação equilibrada e um nível qualitativo muito interessante no final do mês de Setembro. Um ano de maior acidez e frescura no Alentejo, com vinhos tintos de grande riqueza aromática e elegância, proporcionando elevados potenciais de guarda.

A história da Tapada do Chaves remonta ao início do século XX, quando a família Chaves plantou na sua pequena tapada as primeiras vinhas nas encostas da Serra de São Mamede, iniciando uma relação de paixão e de dedicação à terra. Localizada na freguesia de Frangoneiro, nos arredores de Portalegre, a Tapada do Chaves, acumula mais de um século de existência e assumiu um papel proeminente na criação da região demarcada no Alentejo com os seus vinhos com Denominação de Origem Protegida. Na Tapada do Chaves encontram-se duas das mais velhas parcelas de vinha do Alentejo, em produção, com registos nos anos de 1901 para a vinha tinta e de 1903 para a vinha branca.

Com 60 hectares de área total e 32 de património vitícola, a Tapada situa-se sobre um maciço de granito e a uma altitude generosa, numa zona fortemente

influenciada pela orografia e pela cobertura agroflorestal, num microclima decisivo para a qualidade e tipicidade dos vinhos aí produzidos. Trata-se de um lugar singular pelo seu património e pelo seu potencial.